• Sonia Monteiro

Macumba, Magia, Feitiço, etc, pega mesmo??

Qualquer tipo de intenção para o malefício (prejudicação) conhecido popularmente, designado de alguém para outrem.


Sim pega claro!! Mas vamos pensar um tanto sobre este assunto...


Vou explorar o assunto por partes:


1º) Energia


Energia é forma, cor, som e movimento.

É neutra, potente, flexível, contínua, abundante e disponível em todo o Universo.

Como o nosso Universo é composto de polaridades, que são forças opostas, porém complementares, tais forças empregadas sobre a energia (substância primária) determina seu fluxo, sua composição e seu destino.


2º) Intenção:


Toda ação começa no pensamento, se intensifica pela emoção e então segue para materializar uma ação (atitude), criando uma “ponte”, um trajeto, um destino, para atingir um propósito, objetivo, um desejo.

Tem força quando é genuína, criando intensidade e verdade, por vir de um desejo do coração.


3º) Rituais:


Escolha de objetos, mantras, orações, ações que carregam em si simbologias e significados, que através da clareza e percepção, formam uma certa vibração. Juntos carregam uma mensagem específica.


Hábitos ritualísticos são tradições ancestrais e podem ser de ordem religiosas ou espirituais.


Podem então ser utilizados para inúmeras possibilidades e intenções, também de variadas formas.


Geralmente seguem uma disciplina para potencialização e para que o resultado tenha mais eficácia.


Um exemplo bem simples, é a toma de um determinado medicamento, geralmente a indicação médica é “x” vezes ao dia, por tantos dias e sempre no mesmo horário, para curar, sanar algum tipo de sintoma, este também é um ritual de cura.


Toda cerimônia religiosa é um ritual, com intenção de conexão com o Divino.


Todas as culturas tem rituais por tradição e intenções específicas, datas celebrativas etc.


Sendo muito comum, pensarmos que para enviar uma demanda “negativa” para alguém seja necessário que se faça um ritual ou que se “encomende” um ritual, mas não é verdade, embora seja comum, pois a própria forma pensamento pode produzir o resultado intencionado.


4º) Forma Pensamento:


É a construção/criação e fortalecimento de uma ideia, que se une a uma emoção condensada no coração, que torna-se um “mantra”, uma repetição que condiciona uma energia, que tem um destino que pode ser outra pessoa e não somente um desejo pra si mesmo.


Uma forma pensamento pode ser um processo interno, também ritualístico, uma criação imaginária, entretanto, tão potente quanto um ritual com elementos físicos e concretos.


Além de tudo, pode permanecer num plano mais oculto, pertencendo ao Universo Interior do pensador.


5º) Mitos:


Existem muitas lendas que foram criadas na linha do tempo, mistificando o que se conhece como magias, feitiços, bruxarias e hoje em dia o mais popularmente citado é a macumba.


Nenhum destes conceitos são necessariamente prejudiciais ou principalmente maléficos, tratam-se eminentemente de ritualísticas para um determinado objetivo, desejo. Como por exemplo fluxos construídos e realizados para curas diversas, sejam físicas, emocionais, mentais, energéticas ou espirituais.


Muitas das lendas foram construídas, inclusive, no passado da medicina, como por exemplo, manuseio de ervas para chás, quem tinha alguma habilidades e conhecimentos desta natureza, poderiam ser taxadas de bruxas ou feiticeiras.


Até aqui minha intenção foi separar os conceitos principais.


Portanto as famosas e conhecidas demandas maléficas, são as intenções genuínas vindas do coração, somam a emoções descompensadas, destrutivas, por motivos variados, como por exemplo raiva, inveja.

A partir da imaginação de destruir o objeto, pode desejar isso de tal forma que busca ações que materializem isso.


As produções destas demandas, podem vir de terceiros que estejam disponíveis para este tipo de solicitação e que atuam com egrégoras espirituais compatíveis e ressonantes a estas vibrações conectadas a uma polaridade negativa.


Tais más intenções são nocivas e podem influenciar, interferir, prejudicar, bloquear os fluxos da vida em diversos níveis, obviamente para esta própria pessoa, para quem tem essa disponibilidade de orquestrar a manipulação das energias para intenções desqualificadas e também para a pessoa alvo.


Fazendo uma analogia simples, é como jogar “sujeira” no outro, e esta “substância” pode ser de graus prejudiciais diferentes e atingir o alvo de formas e níveis diferentes.


Mas...Que pega, ahhh pega sim... E porque pega??


Vamos lá, refletir outros aspectos...


Nós Humanos, somos seres emocionais, este campo, não é fixo e sim oscilatório e depende de inúmeros estímulos.


Os fatores emocionais, dependem da visão de mundo do individuo, como na máxima: “Não vemos o mundo como ele é e sim vemos como nós somos” que se dá conforme a própria percepção.


Esta percepção de mundo externo, vai sendo marcada no decorrer da vida, desde a concepção, passando pela gestação, nascimento, primeira infância (que aliás tem uma importância profunda no desenvolvimento) e assim sucessivamente. Impactada também pelo sistema familiar, além de memórias de experiências passadas, também de crenças aprendidas, principalmente religiosas e medos pessoais, um conjunto abrangente e complexo.


Nossas emoções oscilam de acordo com a forma que vemos o mundo e nos sentimos em relação aos acontecimentos e experiências externas, o que por consequência, produz nossa vibração pessoal, que obviamente também não é estática.


Isto é normal e comum à nossa Natureza Humana e está tudo bem que seja assim. Mas o fato é que quando oscilamos em nossas vibrações, em alguns momentos podemos entrar em ressonância com energias desqualificadas, em maior ou menor intensidade.


Assim como a higiene física é fundamental para nossa saúde, a higiene energética e espiritual também é essencial e deve ser contínua em sua prática e disciplina.


Entretanto por ser de natureza invisível, diferente dos produtos de higiene que usamos em nosso dia a dia, precisamos de maior conhecimento e atenção sobre a qualidade destes processos de higienização, haja vista, inclusive, que devemos ter clareza sobre as egrégoras com as quais nos conectamos. Eu faria uma analogia, com o conhecimento dos valores e práticas dos fornecedores dos produtos de higiene. Inclusive hoje em dia, está ficando, felizmente, mais comum, pessoas se interessarem em conhecer as indústrias que fabricam e/ou fornecem os produtos em geral que consomem.


Por algum motivo, podemos abrir portas que se conectem com as tais pontes que foram destinadas pela má intenção do outro e por identificação energética nos contaminamos.


Portando é absolutamente importante desenvolver autoconhecimento e consequente inteligência emocional e a partir deste caminho, seguir para inteligência de adversidades, inteligência espiritual, adquirindo práticas/hábitos de higienização energética, mas principalmente, buscar a auto sustentação do próprio campo de energia, visando o máximo possível, manter uma vibração qualificada e saudável, assim prevenindo estas demandas maléficas, ao menos no que se refere à intensidade das mesmas.


Quanto mais estamos conscientes a respeito destes fluxos, quanto mais cuidados com atenção ao nosso campo vibracional, mais estáveis vamos nos tornando. Isto inclui autoresponsabilidade, ou seja, cada um cuida de si, ainda que busque interagir com outra pessoa/profissional, na função de ajuda, não adianta delegar completamente a outrem.


Entretanto nem sempre abrimos as portas, por ressonância com a negatividade em maior ou menor grau, mas sim por estarmos energicamente vulneráveis, em função das emoções.

Podemos nos fragilizar, quando estamos tristes, preocupados, doentes (com baixa imunidade) ou por comportamentos “inconsequentes” de ordem sexual, consumo de álcool e drogas.


Tudo se trata de adotar um estilo de vida, mais equilibrado possível, consciente e saudável, para o corpo, mente e espírito.


Ainda assim, não é incomum nos distrairmos, até os mais cuidadosos e atentos, afinal somos todos humanos, portanto todos somos vulneráveis e oscilamos no nosso campo energético.



O AWEN & AMEM, tem por intenção percorrer uma jornada profunda, de rastreamento do Universo inconsciente, visando emergir os bloqueios, limitações, interferências, limitações e mesmo magias que possam apresentar contaminações, incluindo artefatos energéticos, conhecidos como implantes.


Após a identificação destes lugares ocultos, da percepção destes possíveis elementos de significados limitantes, realizar uma limpeza profunda e abrangente, promovendo transformação e então um realinhamento, recalibragem, purificação e regeneração.


Com a casa interna preparada, construir um altar de luz no campo sutil, com ancoramento de elementos de proteção, visando estar refratário a energias desqualificadas.


Mas, cabe ressaltar que não existe blindagem eterna, como mencionei anteriormente, somos Humanos e oscilamos nossa vibração, assim ressalto que aprender a manter a sustentação de equilíbrio é um benefício de autonomia.


E a jornada Awen aprendida pode ser repetida.


Esta jornada veio a partir de uma inspiração da energia de Santo Antonio, que traz a capacidade de rastreamento, varredura de energias de baixa vibração, pois uma vez detectadas e percebidas, podem ser então transmutadas. Pois só temos ação, sobre aquilo que existe para nós, quando se revela, então podemos mudar, de acordo com o ritmo, disposição e permissão do espírito.


Assim se desdobrou a Geometria do Pentagrama, com São Francisco carregando a energia Crística, confirmando a luz divina do processo.


Também São Benedito que ajuda amorosamente na libertação de qualquer escravidão.


Esta Tríade Franciscana já havia se apresentado e tenho absoluta Fé na força desta trindade, a qual já evoco a muito tempo na minha vida e meus trabalhos.


Então se apresentou para o Awen, São Bento que traz proteção, através de símbolos e do elemento água.


Também São Cipriano, com a potência da Alquimia, para as transmutações das energias.


Ao redor do pentagrama, um triângulo de proteção e sustentação, no ápice estão Isis e a sua frente Maria Madalena (Energia Feminina), a esquerda Thoth (Energia Masculina) e a direita Anubis (Guardião).


No entorno o Círculo de proteção de Arcanjo Miguel e seu exército de Luz.


Além da cooperação de todas as forças e emanações divinas necessárias para atender aos pedidos de consciência, elucidação, limpeza, regeneração e proteção.


Nós merecemos essa Paz!! Mas para tanto, precisamos tomar as rédeas de nosso destino e aprender a nos defender, nos proteger e a sempre voltar pra casa!!


Sonia Monteiro





"Santo Antonio pequenino,

não me deixe andar sozinho,

olha eu meu

Santo Antonio, tomai conta do caminho..."











0 comentário