CONSTELAÇÃO RGB.png

“A Constelação, como a Arte, traz à luz, de uma forma condensada e configuradora,

o lado invisível da realidade.”

Jacob Schneider

O que é?

A Constelação Familiar Sistêmica é a metodologia principal utilizada como bússola, somada a outras técnicas terapêuticas vibracionais. Aqui na Thoth Elemento Humano ela é ancorada e assessorada por uma equipe espiritual de mestres ascensionados e arcanjos, por Thoth e os estelares Arcturianos, que atuam em conjunto com a grande Fraternidade Branca ou do Todo e da Luz, pertencente à Hierarquia e Consciência Crística.

Como é realizada?

Um dia antes da data agendada para realização da Constelação, o campo do cliente constelante é ativado com 16 códigos Arcturianos de Geometria Sagrada (um “alfabeto” cósmico que tem, em suas chaves de comando, intenções de relembrança de virtudes e qualidades do Ser), para permitir suporte energético e facilitador na abertura e acesso ao seu sistema familiar e de alma, através dos registros akáshicos. Estes códigos são desativados um dia depois da constelação.

A sustentação e suporte da Egrégora Espiritual mencionada acima, facilita a abertura de portais dimensionais e o acesso a níveis elevados de consciência sistêmica de forma segura. Isso permite a cura e a liberação ancestral e de memórias condensadas prejudiciais ou mesmo traumáticas, por meio de tratamento com as tecnologias multidimensionais Arcturianas, além das emanações e qualidades medicinais divinas. Há ainda a possibilidade de reconexão cósmica para as sementes estelares despertas e a integração de diversos aspectos do SER.

Para que serve?

O campo das Constelações Interdimensionais Sistêmicas revela o oculto através da consciência, elucida padrões limitantes e repetitivos carregados pelas gerações da teia familiar. Proporciona percepções das forças propulsoras do ser. Gera novos e atualizados significados. Libera bloqueios, solta os nós, restabelece os laços e vínculos, propicia reconciliações pelas ordens do amor.

 

Não apenas o constelante, o qual apresenta sua questão para ser constelada, mas também as pessoas que comparecem no dia com o objetivo de participar, integrar a egrégora e contribuir com sua presença, se beneficiam do campo.

CÓDIGOS E CHAVES DE COMANDO

Pois assim deve ser o princípio universal e sistêmico do equilíbrio entre dar e receber: representar no campo das Constelações Interdimensionais Sistêmicas, é movimentar a alma de alguém pelo toque do seu coração, e você se sente tocado de volta!  

 

No dia da constelação, 2 códigos Arcturianos de Geometria Sagrada são ativados para esses participantes visando favorecer o aprendizado, a perceber sincronicidades e ressonâncias com o seu próprio sistema, mesmo ele não sendo o constelante.

ABERTURA.png

Dessa maneira, alguns pressupostos das Constelações Sistêmicas Interdimensionais são: 

  • Multidimensionalidade 

  • Pensamento Sistêmico 

  • Nova Ciência e Espiritualidade 

  • Método Terapêutico Transpessoal 

  • Método de Intervenção Sistêmica 

Restabelecer as ordens do amor na família, por exemplo: 

  • O direito de pertencer 

  • Precedência  

  • Equilíbrio entre dar e receber 

                               

Elucidar dinâmicas ocultas, por exemplo: 

  • Conflitos: Entre pais e filhos, casais, familiares, etc. 

  • Doenças Graves: Depressão, drogas, transtornos psíquicos, entre outros.

  • Eventos repetitivos: Acidentes graves, mortes precoces, perdas materiais, etc. 

Quem desenvolveu?

Organizada por Bert Hellinger há mais de 30 anos, a metodologia das Constelações Sistêmicas Familiares, possui abordagem sistêmico-fenomenológica.  

Hellinger afirma que o ser humano pertence a vários sistemas de relações, sendo a família a estrutura básica. Fatos localizados em gerações passadas podem ter repercussões intensas em nossas vidas, manifestando-se em bloqueios, limitações, dificuldades afetivas, profissionais e materiais, doenças, desequilíbrios físicos, vícios, acontecimentos trágicos e muitas outras consequências.

shutterstock_248908633 (Cópia).jpg

O trabalho com Constelações - denominado por Terapia Breve, por ser pontual e poder apresentar resultados bem rápidos – permite visualizar essas repercussões e a forma como atuam. A partir daí, podemos desatar os nós que nos prendem inconscientemente a essas realidades que, frequentemente, sequer conhecemos. 

Compreender essa dinâmica sistêmica, expressa pelo que Hellinger denominou de “ordens do amor”, representa um passo importante em direção ao autoconhecimento e à percepção cotidiana do nosso lugar no mundo, nossos vínculos, relações, projetos, equilíbrio pessoal e realizações. Mais do que isso, ao possibilitar uma reordenação das forças que atuam em nosso sistema, as Constelações nos encaminham em direção a transformações qualitativas, tanto nossas, quanto de pessoas que compõe o nosso sistema. 

Minha contribuição

Face à integração destas ferramentas quânticas, sustentação da expansão do campo sistêmico, navegação por diversas dimensões de consciência, tanto de caráter energético quanto espiritual, que vão além da esfera familiar, atribuí a identidade do meu trabalho de Constelações Interdimensionais Sistêmicas.  

shutterstock_1221181900 (Cópia).jpg

Realizando as constelações, percebi a necessidade de ampliar o campo para além das questões familiares quando assim se faz necessário, o que aliás acontece de forma natural e orgânica. Assim, constelantes também têm trazido questões mais abrangentes, da família universal que somos, independente de mesmo sangue ou não, sobrenome ou não, parentesco ou não.

Consequentemente, as constelações que faço têm se tornado cada vez mais intensas, profundas e desafiadoras para mim, por isso é fundamental ser ancorada e assessorada por uma equipe espiritual que me acompanha durante as Constelações Sistêmicas Interdimensionais. 

Por esses motivos, até onde sei, desenvolvi um processo próprio para conduzir as constelações. Claro que tenho e honro a fundamentação de Bert, mas creio que somos livres para adaptações, ajustes e inspirações, desde que com seriedade, integridade, conhecimento e verdade. 

Formato em grupo

Um grupo se reúne por ressonância e sincronicidade, o que significa que os sistemas acessados em grupo apresentam singularidades com os sistemas dos participantes. Pessoas reunidas com uma intenção genuína de amor e doação, formam uma egrégora poderosa e assim é criada uma força catalisadora e propulsora, favorecendo a abertura e expansão do campo sistêmico.

Neste formato, o constelante apresenta a questão que deseja trabalhar e ao formar o campo, convido participantes para representarem os indivíduos ou aspectos do sistema. As constelações em grupo acontecem semanalmente, conforme agenda divulgada. Em cada data são realizadas apenas 2 constelações, com um breve intervalo entre uma e outra. As questões são apresentadas com o mínimo necessário de informações. 

É muito comum o constelante expressar mais o que está em sua mente, sendo que a força da questão costuma estar no âmbito emocional, portanto busco o máximo de compreensão até chegar na força da questão. 

Inicio o processo ou abertura do campo sistêmico realizando um alinhamento vibracional que é inspirado pelos Arcturianos, principalmente para apoiar os constelantes do dia. Como mencionado acima, os demais participantes também usufruem ricamente do fluxo meditativo, já iniciando sua abertura de percepção sobre a ressonância e sincronicidade com o processo. 

Formato individual

 

shutterstock_1246645873 [Converted].jpg

No formato individual não há a presença de participantes. Somos eu e o constelante, o qual relata sua questão de forma abrangente para que eu possa identificar as inter-relações da queixa em suas áreas da vida, ou seja, em que circunstâncias a questão se manifesta em padrão repetitivo. Passo a colher informações e percepções num diálogo sistêmico, navegando pela biografia do constelante. 

shutterstock_1684828738 (Cópia).jpg

Neste formato, os mesmos códigos Arcturianos também são ativados no campo do constelante. Desta forma, sou inspirada a identificar os campos que devem ser investigados no Sistema Pessoal do constelante, porém inicialmente não os revelo, e realizo o ancoramento de forma oculta.

 

Através da percepção dos campos, acessamos as informações manifestadas e só então revelo os campos e passo a realizar as interpretações e correlações entre eles. 

Através deste diagnóstico sistêmico, que produz elucidações e consciência sobre os comportamentos repetitivos e sintomas relatados pelo constelante, identificamos os pontos de cura a serem realizados. Trata-se de um processo mais interativo e introspectivo com o constelante.