• Sonia Monteiro

Constelações Interdimensionais Sistêmicas

Quem sou eu neste lugar!!

As Constelações não pertencem ao Constelador, pertencem sim ao Constelado, este que abre o Coração, para que ele, o coração, possa fluir e iluminar o traçado, o destino de cada jornada, é o próprio Espírito do Constelado que lidera a trajetória.


Só ele aciona o “Portal” e se conecta com os envolvidos, numa união de intenções, soluções e geram as permissões necessárias para que os Registros Akáshicos sejam elucidados e possa emergir o essencial para aquele determinado momento da linha do tempo.

A “Magia” das Constelações está neste Fiar da Vida, nesta disposição de perceber as teceduras que se movem e se entrelaçam na história da Teia Familiar.


Quando é o coração que guia, não há especulação, o que move é a cooperação, não é atrevimento, é a coragem de seguir os sinais, daqueles que se revelam.

O Constelado quando decide por este movimento, aciona a primeira chave, o alerta, um pronunciamento para acessar os mistérios destes emaranhamentos quânticos.


Quando o Constelado escolhe seu Constelador, se abre à ressonância dos encontros, se conecta com a particularidade de cada profissional, que tem a partir de si a sustentação também do próprio Espírito, a autonomia e liberdade correspondente, nenhum encontro é ao acaso, é aleatório, é sim guiado por este Sistema, numa relação de confiança e sincronicidade.



Ao Constelador cabe a humildade de seu papel, cabe também a abertura de suas próprias verdades, cabe a consciência das implicações deste lugar que se coloca, cabe a absoluta responsabilidade (responder com habilidade) ao mover toda essa energia, cabe também a mestria de levar a frente com a fluidez absolutamente necessária, sem o engessamento de seus medos que podem leva-lo a escolha da replicação automatizada e modelada de um discípulo emudecido pelo receio do questionamento, da crítica e da experimentação.

O Campo das Constelações, é um lugar de Cura e entendam por Cura, um lugar de abertura da Consciência, Cura é cuidado, diligência, tratamento, remédio, cicatrização, restauração.


Como é atribuído a Einstein, “Uma mente que se abre para uma nova ideia, jamais volta ao tamanho original”, aquilo que é visto, não poderá mais ser “desvisto”, por isso para umas tantas pessoas pode ser tão assustador, abrir-se para “ver”, pois ver, é um caminho sem volta, abre, consequentemente, novas perspectivas, pontos de vista, compreensão, e mesmo aquilo considerado o pior cenário, circunstância, pode ser reduzido a um fato com algum tipo de justificativa, nem se trata de justo ou injusto, certo ou errado, trata-se de compreensão.


Um fato compreendido, primeiramente pela mente, tem a chance de seguir pelo caminho do coração, onde há brecha para a Compaixão, Aceitação, Perdão e inclusive Gratidão, que são as virtudes do Coração, que estão no lugar mais Sagrado de cada um de nós e haja vista que independente do fato em si, tudo é costurado para um aprendizado importante ao Espírito.


Tudo isso significa que a Constelação pode não atender a uma expectativa idealizada, fantasiosa, infantilizada, de irá remover imediatamente e definitivamente um sentimento, uma emoção, comportamento ou padrão limitante da vida, por um passe de mágica.


A verdadeira magia está, em fazer algo contrário, que é “materializar” aquilo que não é visto, trazer ao cenário, aquilo que está oculto, escondido e que pode ser o fio da meada do emaranhamento, ou mesmo, um ponto dele, que interfere, impacta na vida de forma a promover a manutenção dos padrões, que ficam num looping até serem interrompidos e então caminharem para a conclusão e consequente transformação.

Os Arcturianos trazem o esclarecimento, de que temos em nossa humanidade, uma tendência de nos fixarmos em nossos dramas existenciais, em maior ou menor grau, inclusive estes dramas seguem se mantendo em várias vidas, pois tendem a ser uma grande lição a ser aprendida. Essa fixação é extrema e desnecessária, entretanto também é um aprendizado pra nós, reduzir a intensidade, para que então possamos desapegar desta dor e seguir adiante em nossa progressão.


Quando nos dispomos a olhar um drama, com um tanto de afastamento, costumo mencionar, que atingimos um “olhar de águia”, assim nos desidentificamos, olhamos com alguma neutralidade, suficiente para o ponto de mutação.


Nosso apego ao drama, relaciona-se com nossa própria identidade, e curar esta dor, nos gera um medo de nos perdermos de nossa auto percepção: O que será de mim, se esta ferida se curar??


Portanto, curar-se dói, transforma, expande a identidade...

Também liberta, alivia, harmoniza, reconstrói, regenera...


Curar é uma prática, um caminho, um fluxo, que segue um processo, portanto uma Constelação, possivelmente, não resolverá uma vida toda de um Constelado, mas pode ser a chave de um portal.


Todavia, a depender do objetivo, pode sim atender uma necessidade de alguém e trazer satisfação e contentamento, mas isso é não é minha escolha como Consteladora, pois estou simplesmente a serviço e não interfiro ou determino o caminho de nenhuma constelação. Este campo é maravilhoso e muito poderoso, mas tem a própria sabedoria sistêmica, acionada pela permissão daquele sistema observado.

Thoth é uma consciência, é conhecido também como Observador, é onde está a neutralidade para a fluidez, ele nos ajuda a sustentar este lugar enquanto nos abrimos para as surpresas que trazem o Campo das Constelações.


O Campo das Constelações traz o Universo Quântico à disposição, ou seja, percorrer realidades paralelas, observar a linha do tempo, que na verdade transcorre simultaneamente, níveis dimensionais coexistentes, por este motivo carrego a identidade de CONSTELAÇÃO INTERDIMENSIONAL SISTÊMICA desde logo o início de meu trabalho, pois traz um propósito de abrangência, expandindo as possibilidades de acesso, obviamente, desde que de acordo com a permissão e disponibilidade do Constelado e seu Sistema.


Desde o início também, como eu já me relacionava com esta visão quântica, energética e espiritual, me conectando com uma egrégora espiritual poderosa e generosa, me abri para esta ajuda, e me sinto então, pertencendo a uma equipe além de mim e minha mente, e me abro ao trabalho a partir do meu Espírito e Coração Sagrado e me sinto movida por esta fluidez junto a estas emanações e consciências superiores.


Entretanto, sinto, observo e experencio que minha formação em Psicologia contribui fortemente, pois é onde consigo traduzir as informações, caminhar também pela mente interpretativa do comportamento e Natureza Humana. Me coloco e me sinto confortável neste lugar de Psicóloga da Alma, terapeuta Quântica, pois é verdade que navego por estes lugares, que de fato se somam, cooperam e podem atingir níveis profundos e assim contribuir com as intenções daqueles que sentem, de alguma forma, um chamado para este Campo que navego.


Outro aspecto que é importante, interessante e muito agregador neste conjunto, é que o Constelado, quando está genuinamente na intenção de cura e expansão de consciência, pode também ser “Chave de Comando”, para abrir conexões com grupo de almas, que podem pertencer a estruturas sistêmicas que esteja acionando e então contribuir para a liberação destes grupos, obviamente, de acordo com a permissão de cada espírito/alma envolvido, haja vista que a espiritualidade aproveita a possibilidade de um portal ampliado.


O que mais uma vez, traduz o Poder da Intenção Genuína.

Se você Constelante sentir ressonância com meu campo de trabalho como Consteladora, terá como suporte toda a Egrégora Espiritual, que inclui os Estelares Arcturianos, que iniciam com suas tecnologias vibracionais, ativando 16 códigos de Geometria Sagrada no seu Campo, um dia antes da data que você escolheu para Constelar e desativando um dia depois da Constelação. Estes códigos/geometrias foram recebidas pelo artista Janosh e carregam as chaves de comando que são úteis para todos nós, são virtudes do coração que nos ajudam a acessar nossos registros e nos alinham a vibrações mais elevadas.


Durante a Jornada, eu me abro para esta Espiral Sistêmica e mergulho na navegação com o Constelado, ainda que seja por “mares revoltos”, o que não é incomum.


Após a Jornada, costumo dar apoio, esclarecimentos, não abandonando o constelado, embora eu sempre esclareça inicialmente, que trabalho em estado de expansão de consciência e que é impossível pra mim, ter aderência do processo, assim, logo após o encerramento esqueço detalhes.


Costumo mencionar para todos que chegam a mim, que admito e assumo que atuo junto a uma egrégora espiritual, além disso, tenho uma característica rebelde o que me leva a um lugar de pária no segmento, ou seja, respeito absolutamente o aprendizado que obtive, mas não sigo ninguém, me sinto confortável em seguir meu próprio destino e assumir minha mestria.

Prezado Constelado:

. Sempre uma honra navegar contigo neste movimento espiral de alma

. Com gratidão por sua confiança e permissão,

. Não tomarei de ti teu Cetro de Poder,

. Não verei nada que não for da minha conta,

. Não especularei,

. Não ofertarei nada que não lhe seja útil,

. Te contarei o que vier, desde nada ou muito...


Podemos fazer isso juntos, em grupo, onde o círculo de cura atua, pois a história de cada um é de todos nós, e ao tocar a alma do outro sente-se tocado de volta, e é nesse lugar que os participantes que representam no campo se colocam e também se beneficiam dos aprendizados dos campos abertos, se relacionando com respeito e dignidade, inclusive recebem também a ativação de 2 códigos de Geometria Sagrada Arcturiana (Abertura e Intuição), para usufruírem o máximo possível, estabelecendo a premissa de equilíbrio entre dar e receber, que pertence ao Universo do UNO e consequentemente ao Campo de Constelações.

Podemos fazer isso juntos, em formato Individual, quando seremos apenas eu e você Constelado, e você receberá todo suporte, para abrir seus Registros e acessar memórias, e eu abro a Espiral Sistêmica, buscando as sinapses de suas questões, associadas à sua Biografia Familiar, até estabelecer maior clareza desta Geometria que é a Teia Familiar e então coloco os Campos Essenciais e necessários, para avançar mais passos na direção da compreensão e então facilitar as reorganizações possíveis, disponíveis, necessárias para o momento.

Posteriormente, costumo encaminhar um conjunto de sugestões, que costumo chamar de Caixinha de Ferramentas, que eu mesma tenho por hábito praticar, compartilho com a Esperança de que lhe seja útil, como tem sido a mim.


Contudo, apesar de todas estes passos, consciência e percepção do Campo das Constelações em todos estes anos de atuação, jamais faço ou farei qualquer promessa, darei garantias, pois toda e qualquer mudança na sua vida, depende de VOCÊ, com Disposição e Constância.


A Vida oscila, não é estática, ela é constante em seus desafios, mas, entretanto quanto mais nos conhecemos, melhor e mais eficazmente administramos nossa Vida.


A VIDA É BREVE, QUE SEJA LEVE...


Lembre-se: Aquilo que não VEJO não existe para mim, apenas o que Vejo posso então mudar, eu só Vejo aquilo que OLHO, e para Olhar preciso me dispor a Ver...Quando me disponibilizo, um Portal se abre para mim, quando penetro este Portal e passo a Ver, não volto para o mesmo lugar, inicio uma Jornada de descobrimento. Assim, inúmeras possibilidades se revelam...


Claro, adultecer e aprender sobre si, cuidar e proteger a si mesmo, não é exatamente divertido, mas pode ser mais harmonioso, consciente. É árduo, muitas vezes complexo, mas a beleza desta percepção quântica, é que uma vez que você aprende o mínimo, você poderá plotar isso em novas e novas situações, e cada vez vai ficando mais fácil e mesmo nas crises de transformação, nos piores infernos, você já saberá onde está e na certeza de que passará.


A maravilhosidade da Vida, é você estar confortável em SER quem É!!

Uma jornada de volta pra casa, o EU SOU...


EU SOU O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA...


EU SOU!! SOU COMIGO, CONTIGO E COM TODOS...

Te espero, com amor, respeito, abraço e café!!

Sonia Monteiro



0 comentário