• Sonia Monteiro

A Compaixão é o lugar do Não Julgamento!!

Gosto muito de olhar as palavras de várias formas, nem sempre etimologicamente, mas também simbolicamente, o que contém nas palavras que podem ampliar seu sentido, aliás vejo que esse olhar tornou-se mais corriqueiro, como por exemplo CORAÇÃO: que contém Oração dentro, ou Cor (coração) em Ação...E assim por diante!!

Desta forma olhando a palavra Compaixão, penso que ela ainda não traz uma clareza de tudo que representa, pensando em Com - Paixão, não sinto que seja o caminho.


A Paixão traz em si uma propulsão para a ação, uma busca entusiasmada (Entusiasmo - ter Deus no Coração) de algo que se tem um genuíno interesse, e mais muitas possibilidades a se discorrer sobre a Paixão.


Entretanto a Compaixão, não é exatamente apaixonada...

Penso que a Compaixão está para Paz, Serenidade, Aceitação e Neutralidade.

Algo que Simplesmente É, independente da ação de alguém, assim como o Amor e o Ar...

Estão em nosso em torno, independente que respirarmos ou não, de amarmos ou não...


Compaixão, me parece mais, com o lugar de Nós pelo qual observamos o nosso entorno e obviamente a nós mesmos.


Um lugar consciente, pacífico, neutro, centrado e sem juízo de valor, sem medidas e julgamentos...sem envolvimento, porém compreensivo...

Portanto a Compaixão carrega em si muitas outras sementes, mas todas elas originadas no Amor Incondicional.


Vai além da Empatia, de colocar-se naquele lugar, ou ainda de sentir-se da mesma forma, vai além da compreensão mental sob cada aspecto ou situação observável.


A Compaixão é também um Estado de Espírito, é um nível de Consciência, a qual a tudo abarca, ou seja, não se sente compaixão por algumas situações e não se sente por outras, o que significa que quando se atinge a Consciência da Compaixão, se integra interiormente essa postura de SER.


Compaixão faz parte de SER!!

Neste estado de Consciência (Com Ciência - Estar ciente) do SER, é um lugar do Não Julgamento, haja vista que não mais se Olha do ponto de vista da Dualidade e sim da Unidade.


Deste lugar qualquer situação observada é vista como natural e certa, pois independente de como se apresenta, traz em si um propósito, tem uma razão para ser assim, consequentemente todos os envolvidos, também tem uma razão por estarem ligados.


Pois tudo traz um aprendizado para a Alma.


Portanto ao olharmos uma situação, não podemos ver tudo, vemos apenas um mínimo, uma pontinha de um imenso Iceberg, assim não temos como ser assertivos ao tomar um partido sobre qual lado escolher ficar.


Se nos identificamos com uma possível vítima, penalizados pela expressão da situação, não vemos o todo...Se também escolhemos a acusação de um possível algoz, também não vemos toda a situação.

E sempre que tomamos um partido, alimentamos a dualidade da situação, o que é uma atitude limitada e carregada de julgamentos advindos de um lugar ressonante e sincrônico com a situação observável.


Sendo assim frente a qualquer situação, conscientes de não estarmos vendo o todo, principalmente os motivos ou necessidades de aprendizados de cada alma envolvida, o melhor é trazermos para o coração, acolhermos com respeito e dignidade, aceitando que cada um vive o que seja necessário e/ou escolhido por ele e assim nos colocando em atitude de RECOLHIMENTO, nos dedicando, principalmente a OLHAR dentro de nós o significado do observado e procurar aprender, entender, compreender a si mesmo!!

Curando a Si Mesmo, em estado de centramento, cria ondas de Consciência para o Coletivo, isso é refletir na Unidade.


Sonia Monteiro


0 comentário